segunda-feira, 26 de janeiro de 2009











Press-Release
O rasto invisível da pausa - Luís Silveirinha
Inaugura a 18 de Fevereiro de 2009, às 19h. Até 21 de Março de 2009

A Galeria Alecrim 50 inaugura, no seu espaço no Chiado, a exposição "O rasto invisível da pausa" com trabalhos recentes de Luis Silveirinha. Nesta primeira individual, com curadoria e texto de João Pinharanda, o artista apresenta uma selecção de desenhos a guache sobre papel.Horário2ª a 6ª: das 11h às 19hSábado: das 11h às 13h30 e das 16h às 19h não significar ' nos desenhos de Luis Silveirinha a natureza dissolve os seus elementos, a geometria nega os seus princípios, a realidade duplica-se sobre eixos indiferenciados, a imagem perde equilíbrio e nitidez. nos desenhos de Luis Silveirinha devemos entender "não significar" como algo diferente de insignificante. devemos usar "não significar" como sinómino de um significado que se recusa; no sentido em que a uma coisa tomada por evidente toda a evidência é negada. há um princípio dominante: a água. a água impregna as matérias de representação, arrasta-as para além dos limites do realismo na representação figurativa. a água conduz a imagem aos limites do que "não significa". e perguntamos: do que ainda não significa? ou do que já não significa? como se o informe pudesse estar para aquém ou para além de alguma fronteira e não fosse um interior sem exterior. ' joão pinharanda
Alecrim 50 -- Arte Moderna e Contemporânea Rua do Alecrim, 48/50 1200-018 Lisboa Tel. + 351 213 465 258 Email: galeria@alecrim50.pt http://www.alecrim50.pt/© Copyright Alecrim50. Todos os direitos reservados.Está a receber esta newsletter no email luissilveirinha@hotmail.com, se desejar cancelar a subscrição, clique aqui.Para consultar esta Newsletter online, clique aqui.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Dança do Vento - Midi - Poema

video

Graças ao João Paulo Saragoça lá consegui fazer o vídeo. Quanto às imagens foram as possíveis de momento. Obrigado pela ajuda. É assim que eu entendo a vida. Sempre colaborando e ajudando-nos uns aos outros.

Quanto à obra, só tenho a parte estritamente musical, pois implica ainda um declamador que aqui não é possível meter. Enganei-me no tempo de duração. A obra dura no total à volta de 10 minutos.

Deixo aqui o extrato do que será aparte cantada

"DANÇA DO VENTO"

In

"CANTIGAS DE AMOR SOBRE VELHOS MOTIVOS"


Para

Soprano, Coro Misto e Piano

Música: Vasco M. N. Pereira

Poema: Afonso Lopes Vieira


Novembro de 2006

[Copyright]


O vento é bom bailador,
baila, bai e assobia,
baila, baila e rodopia
e tudo baila em redor!

E diz às flores, bailando:
- Bailai comigo, bailai!
E elas, curvadas, arfando,
começam, débeis, bailando,
e suas folhas tombando,
uma se esfolha, outra cai,
e o vento as deixa, abalando,
- e lá vai!...

O vento é bom bailador,
baila, bai e assobia,
baila, baila e rodopia
e tudo baila em redor!

E diz às altas ramadas:
- Bailai comigo, bailai!
e elas sentem-se agarradas,
bailam no ar desgrenhadas,
bailam com ele assustadas,
já cansadas, suspirirando,
e o vento as deixa, abalando
- e lá vai!...

· · ·

Agradecimentos

Caro João Paulo

Obrigado pelo conselho. Tentarei fazer o que me dizes. Mas lá a ver se sou capaz. É que sou muito pouco entendido nestas coisas da informática. Irei dando notícias.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Agradecimentos tardios

Peço imensa desculpa de só hoje vir aqui agradecer a todas e a todos os que me felicitaram pela nova associação Ad Septem Ars. Mas foi uma semana de muitas emoções e muito trabalho. Obrigado, muito sinceramente, a todos!
Agora que já agradeci, vai este meu blogue a ser o que era: uma espécie de diário cultural pessoal e dos meus amigos que nos dedicamos a estas coisas da ARTE.
Bom. Voltei às minhas composições e aos meus estudos musicais. Ainda que pareça mentira, isto de ser músico implica muito trabalho de casa. Mais agora do que quando era estudante. Talvez pelo sentido de responsabilidade, não sei bem.
Hoje estive quase todo o dia às voltas com o meu quinteto de sopro - um quinteto de de sopro é um conjunto de 5 instrumentos. A saber: flauta, oboé, clarinete em si bemol, trompa em fá e fagote. Ainda que pareça mentira, este é o meu primeiro quinteto de sopro. Em princípio vai para Itália, se entretanto não mo pedirem de outro lado. Mas se mo pedirem, terei que escrever outro para o mandar para Itália. É que já está prometido. Soube esta semana que a minha obra "Dança do vento" para Soprano, Coro Misto e Piano, com poema de Afonso Lopes Vieira, vai ser estreada em Maio, em Leiria. Só falta confirmar o dia, mas creio que será no dia 2. Isto se não houver algum contratempo, claro.
O dia que aprender a pôr aqui no blogue "midi's", porei esta obra. São quase 20 minutos de música.
Se houver por aí alguém que me ensine, agradeço.
Para além disto tudo, estive a ler uns poemas de uns poetas argentinos. Vamos lá a ver o que me sai. O que posso prometer é que, sair sai.
Até à próxima.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Convite



Convite
Colectiva
Até 11 de Fevereiro de 2009

Álvaro Lapa - André Almeida e Sousa - António Soares - Arpad Szenes - Diogo Guerra Pinto - Eduardo Nery Fernando Calhau - Luís Silveirinha - Marta Wengorovius - Sofia Aguiar - Tomás Colaço - Tomás C. Ferreira

Exposição que inaugura o calendário da Alecrim 50 para 2009. Juntamente com acervo da Galeria, estão reunidos trabalhos, pintura e desenho, de alguns dos artistas que têm estado presentes nas últimas exposições . Uma selecção de excelentes obras que está patente durante o próximo mês, no Chiado.Horário2ª a 6ª: das 11h às 19hSábado: das 11h às 13h30 e das 16h às 19h
Alecrim 50 -- Arte Moderna e Contemporânea Rua do Alecrim, 48/50 1200-018 Lisboa Tel. + 351 213 465 258 Email: galeria@alecrim50.pt http://www.alecrim50.pt/© Copyright Alecrim50. Todos os direitos reservados.Está a receber esta newsletter no email luissilveirinha@

Protocolo: Sim ou Não?

Caro João Paulo

Agradeço as suas palavras, sinceramente. Acredite que é só uma questão de protocolo que se tem de cumprir. Não fica mal nem bem. É mesmo um só ritual que se tem que fazer, independentemente de eu estar ou não de acordo.
Um abraço.

Oh Caro Três Horas da Manhã

(Isso não é um pouco tarde?) (é a brincar)

Obrigado pelos parabéns.
Desculpe-me, mas não me sinto capaz de educar culturalmente quem quer que seja. Posso é ajudar.Talvez o que tenho é mais experiência nesta área, penso.
Duma coisa pode estar certo, esta associação é de e para todos os campomaiorenses e não só. Depois, lá mais para a frente a gente conversa. Gostaria é de poder contar com as suas opiniões e ideias, para melhorar as minhas ideias e a associação.
Um abraço e obrigado pelas suas palavras. Conte connosco.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

In memoriam

Estive a ler uns blogues de e sobre Campo Maior e fiquei um pouco estupefacto. Afinal somos tâo poucos ... P'ra aí uns oito mil e tal habitantes ...
Já levo uns anitos disto de críticas e contra-críticas, são 52! Não se esqueçam que tenho andado nos últimos 30 anos a dar concertos por esse mundo fora.
É só em jeito de explicação.
Náo me importa ser criticado, mas criticar sem perceber o que quer que seja, não aceito.
A associação a que tenho a honra de pertencer, sim para mim é uma honra e um privilégio pertencer a esta associação que ajudei a criar, tem como objectivos a promoção,a divulgação e o ensino da ARTE e da CULTURA e dos seus agentes, quer sejam amadores ou profissionais. Mas atenção! Só aquelas que de um ponto de vista estritamente artístico se tratarem!
Poderia enunciar inúmeras anedotas e peripécias que me passaram ao longo dos meus anos de concertista, mas só um reparo.
Aquilo a que alguns chamam de cultura, eu chamo de comércio, independentemente da qualidade apresentada. E há tanto comércio na música clássica como na música comercial.
Aqui do que se trata é de ARTE! E não lhe dêem mais voltas!
O que estamos tentando fazer em Campo Maior com a AD SEPTEM ARS é promover, divulgar e ensinar a ARTE em todas as suas vertentes e linguagens. E isto já não é para mim que tenho 52 anitos e que me tenho dedicado à Música "culta" desde os 8 ou 9 anos com a minha querida e saudosa professora D. Maria Amélia Dias! Que pianista era! Ainda hoje ando à procura da sonoridade que dava ao Brahms! Simplesmente genial! Obrigado por tudo o que me ensinou!
Se sou músico a si o devo!
Relembro esta grande SENHORA da Cultura Campomaiorense, porque toda a sua vida se dedicou à CULTURA e à ARTE!
E esta associação tem que servir para não deixar perder grandes carreiras e grandes ARTISTAS como a da D. Maria Amélia. Esta senhora, para quem não sabe, foi uma grande, excepcional pianista, da talha de uma Maria João Pires! Era simplesmente divinal a sua sonoridade pianística!
Se alguém tiver o contacto da família da D. Maria Amélia, agradeço que ma enviem. Desde já o meu agradecimento antecipado.
Se houver alguma dúvida, eu, como professor, não deixarei de explicar. Mas não vou entrar em discussões parvas e inúteis sobre o que é cultura e o que é arte. Isso eu sei, pois tenho dedicado toda a minha vida à arte e à cultura.

Ad Septem Ars - Associação Cultural de Campo Maior

Rua de Timor, 6 ♦ 7370-024 Campo Maior ♦ adseptemars@gmail.com

Campo Maior, 11 de Janeiro de 2009

A “Ad Septem Ars – Associação Cultural de Campo Maior” ”abriu as suas portas”, que é como quem diz, iniciou a sua actividade. E de que maneira! Com um concerto magnífico, onde todos os músicos intervenientes estiveram brilhantes.

Quem se deslocou à Igreja da Matriz, deu o seu tempo por bem empregue! Apesar do frio! É que há dias especiais. E este foi um desses dias! Só encontro duas palavras para adjectivar resumir o que se passou hoje em Campo Maior: magnífico e emocionante!

Em nome da “Ad Septem Ars – Associação Cultural de Campo Maior” obrigado e parabéns à Jacinta Almeida, à Manuela Godinho, ao Guillermo Segóvia, ao Duarte Graça, ao António Graça e, finalmente, ao excelente pianista Amadeu Oliveira! Um agradecimento muito especial ao nosso querido pároco, cónego Donaciano Marques Afonso que permitiu que invadíssemos a sua igreja. Ah! E um obrigado a todos os presentes também, pois claro!

Pela

Ad Septem Ars - Associação Cultural de Campo Maior

A Direcção

sábado, 10 de janeiro de 2009

É já amanhã

Pois! É já amanhã que vamos, não sei se se pode dizer "inaugurar", a Ad Septem Ars - Associação Cultural.
Por força das circunstâncias, tivemos que mudar de sítio. Não vamos realizar o Concerto de Apresentação na Igreja do Convento, mas sim na Igreja da Matriz. Um agradecimento muito especial às Irmãs Concepcionistas e ao nosso Pároco Padre Donaciano Marques Afonso. Obrigado pela colaboração!
A nossa homenagem às Irmãs fica para mais tarde. Paciência! Neste momento de dor e, ao mesmo tempo de regozijo, quero deixar aqui a minha solidariedade e o meu apoio às Irmãs. Sôr Maria de Jesus foi para junto do SENHOR, como me disse Sôr Anjos, entre a tristeza da partida e a alegria da certeza da chegada à Casa de Deus, que só é possível ter quem tem a Fé verdadeira em Cristo. Ave, Sôr Maria de Jesus!
Fica a Ad Septem Ars em dívida com o nosso Pároco. Um bem-haja senhor padre
Donaciano!
Espero que a população de Campo Maior compareça. Isto é para todos os campomaiorenses!
Soube há pouco, que vem gente Elvas. Sede bem vindos! Também queremos trabalhar para vós!
Hoje fomos à Rádio Campo Maior, eu, o Fernando Antunes e o Luís Jorge. Acho que conseguimos expor e explicar bem o que pretendemos. Nunca lá tinha estado. Parecem-me bem apetrechados e bons profissionais!
Por hoje é tudo. Até amanhã ao concerto!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Alguns dos primeiros membros dos órgãos sociais




Ad Septem Ars - Associação Cultural de Campo Maior

Ontem, dia 7 de Janeiro, foram designados os órgaãos sociais. Eis aqui a lista completa:

Direcção Executiva

Presidente - Vasco Pereira
Vice-Presidente - Fernando Antunes
Secretário - Luís Jorge
Tesoureiro - Zé Manuel
Vogal - Isabel Raminhas
Suplente - Isabel Pereira
Suplente - João Carita

Conselho Fiscal

Presidente - João Fernandes
Tesoureiro - Luís Lages
Secretário - Antonieta Costa
Suplente - Paulo Amaral
Suplente - Margarida Pereira

Assembleia Geral

Presidente - Teresa Carita
Vice-Presidente - Rui Carneiro
Seretário Luís Alves
Vogal - João Luís Reis
Suplente - Susana Costa Pereira


Haja sorte e empatia ente todos!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Notas ao “Concerto de Reis”

Notas ao “Concerto de Reis”

Por
Vasco M. N. Pereira
Compositor e Director de Orquestra


Domingo, 4 de Janeiro de 2009
Elvas, melhor, Campo Maior – já que estou a escrever de Campo Maior
Como escrevi uma vez, lá aparecem actividades interessantes que me levam a deslocar-me a Elvas.
Lá fui a Elvas, ao Santuário do Senhor Jesus da Piedade e com expectativa elevada, a assistir a um recital vocal e instrumental. Era um “Concerto de Reis” e valeu a pena percorrer os 40 km que distanciam Campo Maior - Elvas – Campo Maior.
Valeu a pena por dois motivos: um, pela qualidade dos actuantes e o outro, por saber de antemão que o único interesse é fazer ARTE e CULTURA. Sim, com maiúsculas!
Está de parabéns Elvas e, em particular, a Confraria do Senhor Jesus da Piedade por esta brilhante iniciativa organizada pela Academia Papagueno. Parabéns também à Academia!
Intervenientes seis, ainda que um tenha vários membros, o Coral Públia Hortênsia de Elvas, claro. Os outros foram as sopranos Jacinta Almeida e Manuela Godinho, o tenor Guillermo Segóvia e o trompetista Mário Ribeiro, acompanhados pelo pianista Amadeu Oliveira.
Quanto ao Coral Públia Hortênsia, dirigidos com maestria pelo professor e maestro Octávio Martins, os meus parabéns. Esta é a segunda vez que os oiço e em cada audição noto melhorias. Estão mais homogéneos, em suma, é mais coro. Continuem a trabalhar.
A soprano Manuela Godinho, expressiva e comedida nos gestos, apesar de algum nervosismo inicial, (isto de abrir um concerto tem que se lhe diga!), acalmou e encantou todos os presentes. Com um timbre muito suave e bonito, nota-se que há trabalho de casa bem feito.
O tenor Guillermo Segóvia, foi uma boa surpresa. Exuberante nos gestos, tem um bom domínio do público e do palco. Boa voz, com timbre suave e agradável, puxou pelo público fazendo-o vibrar.
O Mário Ribeiro confirmou o que eu sabia e conhecia dele. É um excelente trompetista, com ritmo e afinação, tem um bom domínio e conhecimento do seu instrumento, a trompete.
A Jacinta Almeida é daquelas cantoras que não sabe cantar mal. Resumo a sua actuação em duas palavras: simplesmente BRILHANTE!
Deixei para o fim o suporte e a base deste recital de Reis, o pianista Amadeu Oliveira. Antigo aluno do grande e genial pianista espanhol Esteban Sanchez, segue as pisadas do seu mestre, com o seu bem-fazer, leia-se tocar, o seu ofício: PIANISTA!
Para terminar, os meus mais sinceros parabéns agradecimentos a todos os músicos e cantores e, em especial à Academia Papagueno pela brilhante iniciativa e pelo bom momento passado.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Ad Septem Ars

Já está! Já foi constituída a Associação Cultural de Campo Maior. Lá estivemos na senhora notária, dra. Sílvia Carrilho. Agora é começar a trabalhar, que projectos e ideias não faltam! Assim haja dinheiro e vontade para concretizar tantos projectos e ideias!. Mas a estes e a estas virei à carga quando a associação tiver o seu próprio blog/página web.

Concerto de Reis

Concerto De Reis

Organização: Academia Papagueno

Apoio: Confraria Senhor Jesus da Piedade


Sopranos: Jacinta Almeida e Manuela Godinho
Tenor: Guillermo Segóvia
Trompete: Mário Ribeiro
Piano: Amadeu Oliveira
Coral Públia Hortênsia de Castro


04 Janeiro 2009 - 16.00 Horas

Santuário s. Jesus Da piedade


P r o g r a m a


«Signore delle cime» ------------------------------------------- G. Marzi
«Ave-Maria» -------------------------------------------------- Arcadelt
Coral Públia Hortênsia de Castro

«How beautiful» ------------------------------------------------ Haendel
«Ave Maria» --------------------------------------------------- Caccini
«Laudate Dominum» ------------------------------------------- Mozart
Manuela Godinho (Soprano) – Amadeu Oliveira (Piano)

«Panis Angelicus» ----------------------------------------------------- César Franck
«Agnus Dei» -------------------------------------------------- Bizet
«Vissi d’arte» – Tosca ---------------------------------------------- G. Puccini
Guillermo Segóvia (Tenor) - Amadeu Oliveira (Piano)

«Ave-Maria» -------------------------------------------------------- Bach-Gounod
«Nun Beut die Flur» ------------------------------------------- Haydn
«Ave-Maria» --------------------------------------------------Verdi
Jacinta Almeida (Soprano) – Amadeu Oliveira (Piano)

«Jesus alegria dos homens» Cantata 147----------------------- J. S. Bach
«Moonlight Serenade» ---------------------------------------- G. Miller
«Mundo maravilhoso» ----------------------------------------- Bob Thiele
Mário Ribeiro (Trompete) – Amadeu Oliveira (Piano)

«Laudamus te» ---------------------------------------------- Vivaldi
Jacinta Almeida e Manuela Godinho – Amadeu Oliveira

«Joy to the world» -------------------------------------------- Haendel
«Natal de Elvas» ----------------------------------------- ----- Tradicional
Coral Públia Hortênsia de Castro

Resenhas Biográficas

Coral Públia Hortênsia de Castro – Elvas
Criado em 1987, teve a primeira actuação na Sala Públia Hortênsia de Castro na Biblioteca Municipal de Elvas (daí o seu nome). Deu já três centenas de concertos, de norte a Sul do País, na Madeira e em Espanha. Actualmente é composto por 30 elementos e dirigido pelo Professor e Maestro Octávio Martins, licenciado em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa.
Manuela Godinho
Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório Nacional de Lisboa de onde é natural, com a Professora Manuela de Sá. Licenciada em Filologia Germânica, nunca abandonou o seu gosto pelo Canto. Tem actuado em Portugal, Espanha e França tanto a solo como em duo.
Guillermo Segóvia
Natural de Badajoz, iniciou os seus estudos de Canto no Conservatório de Mérida com a Soprano oriental Mariana You Chí. Realizou Concertos por toda a Estremadura espanhola, Costa del Sol e Madrid. Actualmente prepara a apresentação de um drama musical criado para ele pelo dramaturgo Miguel Murillo.
Jacinta Almeida
Licenciada em Canto pelo Conservatório Superior de Música de Badajoz, realizou vários Concertos em Portugal, Espanha, Brasil, Inglaterra, França e Marrocos, acompanhada por várias Orquestras e Pianistas. Actualmente reparte a sua actividade pedagógica entre Espanha e França.
Mário Ribeiro
Licenciado em Educação Musical do Ensino Básico. Possui o 8º Grau de Trompete pelo Conservatório Nacional de Coimbra. Actuou com a Orquestra de Jovens de Santa Maria da Feira, a Orquestra de Câmara de Coimbra e a Orquestra de Espinho tocando a solo o concerto para 2 trompetes de Vivaldi. Solista em várias bandas filarmónicas Portuguesas.
Amadeu Oliveira
Licenciado em Piano pelo Conservatório Superior de Música de Badajoz, apresentou-se em concerto a solo, com orquestra bem como acompanhando outros artistas em Portugal, Espanha, Brasil, Inglaterra, França e Alemanha. Actualmente reparte a sua actividade concertística e pedagógica entre Espanha e França.

CONVITE / iNVITACIÓN

INVITACIÓN
Concierto de Año Nuevo
Recital de Canto y Piano
(Música clásica, dúos, canciones argentinas y villancicos)

Ana Clara Vera (soprano)
Ma. Asunción Caballero (contralto)
Álvaro Rubén García (piano)

Sábado 3 de Enero de 2009 18:30 hs.
Teleclub - Centro Social
Renedo de la Vega - Palencia
¡¡ Los esperamos y muy Feliz Año Nuevo para todos !!
Organiza: Ayuntamiento de Renedo de la Vega
Colabora: Asociación Musical Amigos de los Clásicos

Música para Bodas
Teléfono: 699 707 264
Web: www.claracanta.com
Web-Blog: www.anaclaracanta.weebly.com