terça-feira, 24 de março de 2009

Escola de Música versus Academia de Música

Pois é, caros amigos!
Ainda não tinha vontade de fazer grande publicidade, aliás não tinha vontade nenhuma, da futura Academia de Música da Ad Septem Ars. E está muito, mas muito próxima. Faltam p'ra aí uns 8 dias, se não estou enganado.
A Academia de Música tem a sua abertura oficial, no próximo dia 1 de Abril. Vamos começar com guitarra portuguesa e guitarra espanhola. O professor é o senhor Paulo Cachinho. Um bom profissional e um bom professor. Assim os alunos saibam aproveitar os seus ensinamentos. Lá mais para a frente, vamos abrir inscrições para os mais pequenos, a partir dos 3 anos de idade, para a aula de Música e Movimento. A professora é a minha irmã, Isabel Pereira.
A partir de Setembro ou Outubro, queremos abrir a aula de Piano e de VIOLINO, esta para dar continuidade ao trabalho que a minha filha iniciou.
E dentro de alguns anos, espero eu, que esta "escolinha" seja realmente aquilo que pretendemos que seja, a Academia de Música Ad Septem Ars.
E já agora um à parte e uma explicação sobre o título.
Escola de Música tem como objectivos fundamentais e principais a ocupação dos tempos livres, a diversão e uma aprendizagem rudimentar da linguagem musical. A Academia de Música tem como objectivos fundamentais e principais o ensino da linguagem musical, a formação e orientação profissional para a carreira musical, isto é formar músicos e encaminhá-los para o profissionalismo e, se não sairem todos músicos, sairão pelo menos, pessoas muito mais cultas, muito mais educadas, muito melhor formadas e verdadeiras amantes da ARTE e da CULTURA. E posso afirmar, sem medo de me enganar e de errar, que sairão muito mais DEMOCRATAS E TOLERANTES COM O PRÓXIMO! Porque um povo culto é um povo democrata! Vejam os Suecos, os Dinamarqueses, etc., etc., etc.
Obrigado e um abraço

segunda-feira, 23 de março de 2009

A 2 amigos: João Paulo e Joaquim (ou vice-versa)

Começo pelo vice-versa.
Amigo Joaquim
Batatadas à parte, o que sempre ficava e ficou, foi a amizade mais ou menos intensa, dependendo do grau de intimidade continua que se mantinha e mantém ao longo da vida. Apesar de não estarmos sempre em contacto, temos mantido uma amizade mais ou menos profunda enraízada nas nossas vivências infantis. Verdade? É que há amizades que perduram, não pelo contacto diário ou semanal, mas pelo que vivemos conjuntamente. Sinceramente que me alegro por ti e por toda a tua família.
Quanto à rapariga, lá a espero em Setembro. Sempre achei que as coisas forçadas não resultam, mas um "emporrãozinho" nunca fez mal a ninguém.
Amigo João Paulo
Uma vez que não qualquer orquestra no nosso Alentejo, nem tão pouco grupos de Música de Câmara que estejam disponíveis para tocar a minha música, vai ser muito difícil, diria que impossível, assistires a algum concerto meu. No entanto, pode ser que apareça alguém a tocar/cantar a minha música em Campo Maior. Quem sabe?
O que me entristece um pouco, não muito pois já estou habituado a que assim seja, é ser conhecido lá fora, que gente de outros países te peçam obras e que as pensem gravar e tocar e, aqui ou por aqui neste rectângulo, mal te passem cartucho. Mas é o país que temos e onde vivemos.
E já agora, os teus rapazes tinham muito jeitinho para isto da arte musical.
Um abraço a ambos e obrigado por seguirem o meu blogue.

Ao Jack The Ripper

Caro Jack The Ripper
Acho que tem toda a razão, mas eu não sou da CMCM, portanto não sei o que é que têm em mente e quais os objectivos que pretendem alcançar. Também não sou, nem nunca serei político, portanto, não posso comentar as decisões da CMCM.
Penso que já esclareci que os meus objectivos e os da Ad Septem Ars estão muito mais acima do que fazer uma simples escolinha onde os meninos batem as palmas, dêem 3 pulos e cantem uma cantiguinha. Fui claro?
Para terminar, eu sou músico, compositor e director de orquestra que tem um projecto cultural para Campo Maior. Foi para pôr este projecto que a Ad Septem Ars nasceu e estou/estamos a trabalhar e a estabelecer contactos.
Obrigado Jack The Ripper por aceder ao meu blogue.
E já agora, porquê "Jack The Ripper"? Vocês têm cada uma ... (ahahah)

sexta-feira, 20 de março de 2009

Saudade para Clarinete e Piano - I Andamento - Allegro

video

Aqui deixo mais um midi ou lá como se chama esta coisa. Está claro, para mim não, que é o meu filho Filipe que ajuda, se não ainda estava a tentar pôr aqui o meu 1º midi. Agradeço ao meu filho e ao João Paulo Saragoça. Este é dedicado a ti, João Paulo. É uma obra que fiz em 2002. Espero que gostem.

quarta-feira, 18 de março de 2009

I Cinque Elementi - Os Cinco Elementos

Deixo aqui 2 comentários a 2 obras minhas, um do quinteto italiano "I Cinque Elementi", que intitulei "Qinteto de Sopro OP. 1 - Os 5 Elementos" em 5 andamentos, e o outro de um clarinetista português, Manuel Carvalho, sobre a minha obra "Saudade" para Clarinete e Piano, esta em 3 andamentos.
  • "Hi Vasco, yesterday we had reharsal and we played your wind quintet (we hadn't studied it). there are very good ideas in you work! Now we have to study it! I let you know. Have a good day - Claudio".
  • "Vi as partituras e acho-as interessantes. Penso que está ao nível óptimo para se fazer valer. Denotam inspiração e trabalho. Compositor inteligente."

É só para dar conhecimento do que vou fazendo a nível de composição.

Este sábado que passou, contactou-me uma poetisa portuguesa, Gloria de Sant'Anna. Agradeceu-me por lhe ter musicado dois poemas, "É o Vento" e "Pescador". Foram das minhas primeiras canções. Enviei-lhe as partituras das canções. Fiquei com mais uma amiga, ainda que não nos conheçamos pessoalmente.

Por falar em poetisa, já comecei a ler e a musicar alguns poemas argentinos. São para a minha amiga Ana Clara Vera. Iniciei este ciclo com "Ahora". É uma poesia de Maria Elena Walsh que aqui deixo:

"Ahora"


"Ahora como un ángel apareces

y me rodeas sin decirme nada.

Ángel que yo cuidara tantas veces

sin saberlo, callada.

En todo lo que miro permaneces

como el aire feliz de la mirada.

Me parezco a tu ausencia y te pareces

a mí resucitada.

Porque viniste cuando me moría

a devolverme a vivas caridades;

porque mi noche muda se hizo día

por gracia de tu voz iluminada,

en esta eternidad con que me invades

yo que no era, soy tu enamorada."

Até à próxima.

Ad Septem Ars - Associação Cultural de Campo Maior

Tinha anunciado que a próxima actividade da Ad Septem Ars seria no dia 26 de Abril pelas 16 horas na Igreja do Convento. Mas já não vai ser. Houve uma troca de datas a pedido dos artistas.
Assim, a Ad Septem Ars vai organizar mais um concerto de música. Desta vez é só música vocal. Vimos trazer a Campo Maior o Septeto Trítono e o Coral de Elvas, o Públia Hortênsia. Quem aparecer vai gostar. De certeza! Este concerto vai ser no dia 19 de Abril pelas 16 horas na Igreja do Convento. Apareçam! A entrada é gratuita!

sexta-feira, 13 de março de 2009

Sem título

Tenho andado "arredio", perdoem-me lá o "alentejanismo" da escrita, mas isto de iniciar uma associação dá mesmo muito trabalho. São projectos e mais projectos, telefonemas e mais telefonemas, ideias e mais ideias que vêm e vão, que se tentam escrever e formatar ou enformar ou lá como é que se diz. Isto agora é só portefólios e planificações p'ra esquerda e p'ra direita! É o que está a dar! Mas não sei para quê e/ou para quem ...
Bem. Vamos lá ao que interessa.
O "Sem Título" é só para pedir desculpa àqueles que me lêem, pelo meu silêncio. Pelas razões já anunciadas. Não é uma desculpa, mas um conjunto de factos e factores que me impedem de escrever, pois não tenho tempo.
Entre projectos terminei, e já enviei para Pádua - Itália, o meu primeiro quinteto de sopro de madeira que intitulei de "Os 5 Elementos - Água, Metal, Ar, Terra e Fogo" dedicado ao quinteto que o vai tocar e estrear, "I Cinque Elementi". Data ainda não há, mas esperam eles e eu também, que seja lá para Julho.
A Ad Septem Ars já tem sede oficial. Estamos na Praça Velha numa sala do Castelo.É uma boa sala para realizar muitas e variadas actividades. Vai também fazer a sua segunda actividade em Abril. Será no dia 26, domingo, pelas 16 horas na Igreja do Convento. Actuarão a Coral "Públia Hortênsia" de Elvas e o septeto vocal "Trítono" de Évora. Dentro em breve teremos mais e melhores notícias!
Oh meu caríssimo amigo Zé Camões!
Acho que não me expliquei bem. Não é que não goste de outras "coisas", mas entre um estrangeiro e um português, prefiro o português. Até pode ser pior, mas é de cá do nosso burgo. E de todos aqueles que anunciei, nem todos são do meu inteiro agrado. Entre Pessoa e Camões, fico-me com Camões. Entre Beethoven e João de Sousa Carvalho, fico com este último por mais que um motivo: por ser português e por ser alentejano como nós, mas de Estremoz. Ainda que Beethoven seja muito mais músico e compositor que o nosso "Joãozinho". Se me derem a escolher uma sinfonia de Beethoven ou outra de um qualquer compositor português para dirigir, enquanto músico e profissional escolheria logicamente a de Beethoven por estar muito por cima da de qualquer compositor português. Mas como nós damos muito pouco valor ao que é nosso, escolheria e escolherei sempre qualquer obra de um compositor português. É que necessitamos muito de promover o que é nosso. Ainda que os poderes instituídos não nos liguem nenhuma. Porque é o que me têm feito, a mim e muitos como eu! É urgente valorizar o que é nosso!